Fazendo miniatura de caminhão para trazer uma carga de boas recordações! Agora no estado de São Paulo

Voltar Página Inicial Miniaturas - Projetos antigos Catálogo de Miniaturas Reflexões
Projetos Ferramentas Como é feito... Outros Sites Miniaturas de FNM
COMO COMPRAR Informática Comentários Quem Sou... Objetivos do Site
Mini Torno Um Pouco de História Perguntas Frequentes Contato Miniaturas de Mercedes-Benz

English

Comentar Como comprar

Como os Moldes são Feitos

Passo a passo da confecção de um modelo procurando obter um resultado aceitável com recursos escassos.

Miniaturas de caminhão FNM

Catálogo de Miniaturas de chapa de metal estampada


COMO É FEITO: A Cabine FNM Modelo Brasinca em miniatura
 

Achei interessante mostrar aqui o passo a passo da confecção de um modelo para que as pessoas tenham idéia de como eles são feitos. Outros métodos e ferramentas especiais existem para tal finalidade, mas a proposta aqui é procurar obter um resultado aceitável com recursos escassos. Então, a observação, imaginação e, sobretudo, força de vontade contam muito.

A primeira parte de qualquer projeto é, inquestionavelmente, o levantamento de dados. Neste caso foi usado o material encontrado na internet. O preferível, no entanto, é ter um modelo real e palpável na escala 1:1. A observação e a comparação são essenciais na elaboração de um projeto baseado apenas em fotos. A distorção de medidas proporcionada pela perspectiva dificulta a compreensão do objeto de estudo, especialmente quando se trata de algo com linhas curvas, composto de ângulos diversos. Uma boa noção de geometria ajuda a encontrar as dimensões aproximadas. Quando se trata de um modelo raro, às vezes não se pode achar fotos de boa qualidade e em quantidade razoável, o que não é o caso do modelo desta página. Depois de muito trabalho no computador (considerando minha pouca experiência com desenho técnico), as linhas básicas da cabine já estão definidas e permitem o início do protótipo. A impressão é feita na escala determinada para o modelo que, neste caso, é 1:25.

 

Desenho impresso da cabine FNM Brasinca na escala 1:25

 

De posse do desenho impresso, começo com um cubo baseado nas dimensões máximas do objeto, que pode ser de argila, madeira ou massa plástica. Sendo o último o meu material predileto. Tem resistência muito boa, secagem muito rápida e é muito bom para moldar. Os inconvenientes principais desse material são o preço e a poeira liberada, que é nociva à saúde. O ideal é que seja trabalhado sob um exaustor sem, contudo, dispensar a máscara anti-pó e os óculos protetores.

Quanto mais perfeito for o cubo, tanto mais precisas serão as medidas. Principalmente a simetria dos lados. O cubo maciço da figura abaixo deve ser laminado para ficar pronto para a modelagem do protótipo.

 

 

 

.

Cubo de massa plástica para a modelagem da cabine

Depois de laminado o cubo, cortamos as linhas básicas para referência.

Cubo de massa plástica - corte das linhas básicas

 

Cubo de massa plástica - corte das linhas básicas - lado direito

Cubo de massa plástica - corte das linhas básicas - lado frontal

 

Cubo de massa plástica - corte das linhas básicas

Cubo de massa plástica - arestas aparadas e delimitação das peças básicas - lado esquerdo

 

Cubo de massa plástica - arestas aparadas e delimitação das peças básicas - traseira

Cubo de massa plástica - arestas aparadas e delimitação das peças básicas

 

Cabine Brasinca - 2ª etapa de modelagem - teste no chassis

Cabine Brasinca - 2ª etapa de modelagem - teste no chassis

 

 

Na foto abaixo, a cabine está muito alta no chassis. Isso se deve ao fato de não ter sido feito recorte na parte de baixo para encaixar o chassis.

 

Cabine Brasinca - 2ª etapa de modelagem - teste no chassis

 

Após as etapas de modelagem vem a confecção dos estampos ou moldes. Trabalhar os estampos para as peças da cabine é quase uma luta titânica se não se dispõe das ferramentas e tecnologia adequadas. Eles são feitos de aços baixo e médio em carbono. A qualidade das peças tem de estar dentro do esperado para um serviço executado com recursos escassos e algum retoque se faz necessário. Todavia, o mais importante nesse projeto é a padronização dos componentes. Vale lembrar que as peças serão feitas de chapa de metal lembrando o processo da indústria automobilística, pelo menos processo utilizado há alguns anos.

 
COMO É FEITO: Do protótipo maciço às chapas estampadas
 

A confecção dos moldes ou estampos será baseada tanto na imagem impressa quanto no modelo tridimensional criado a partir dessa imagem impressa.

A peça a ser feita é a grade dianteira. Vale lembrar que a composição, bem como a montagem da peça no modelo real (caminhão na escala 1:1), é bastante diferente do que é feito aqui. Na escala 1:25, ela vai se compor basicamente de uma única peça. Isso foi assim decidido por motivos de simplicidade e facilidade na confecção da miniatura.

 

 

A figura acima mostra a delimitação das partes ou detalhes a serem representados no molde. Aqui, trata-se das áreas hachuradas.

Esta é a máquina montada em casa que, apesar de ser rústica e inacabada, presta-se a execução de cortes longos e profundos. Em suma, ela é usada para fresar o aço.

 

Corte do aço na máquina automatizada de fabricação caseira

Comparação da faces do molde

 

Comparação de medidas com a imagem impressa

Os cortes para obtenção dos relevos

 

Usinagem da parte em alto relevo

As duas partes complementares: positivo e negativo

 

O molde positivo foi obtido com o rebaixamento da parte superior a fim de tomar o formato da peça no protótipo

O molde negativo foi obtido com o preenchimento com solda da parte superior a fim de complementar o molde positivo

 

A peça tem uma leve curvatura vertical no centro. Assim, foi necessário um recorte da parte externa de cada molde para obter a curvatura

Após os recortes, as duas partes são curvadas juntas numa prensa hidráulica

 

Visualização das partes já curvadas ao centro

Após serem curvadas sob a prensa, o recorte de cada parte foi preenchido com solda

 

É necessário unir as duas partes por meio de um dispositivo centralizador. Como visto na foto, isso foi feito com dois pedaços de aço quadrado perfurados nos extremos e traspassados por dois pedaços de aço redondos.

Como se pode ver, os dois pedaços de aço redondos são presos com solda a um dos moldes.

 

Primeiro resultado estampado razoável. O molde ainda não está pronto.

 
Tem muito para ser mostrado aqui sobre este trabalho e será adicionado assim que for possível.
Ivan Gouveia

Pós-graduado em Redes de Computadores pela FACIMED - Faculdade de Ciências Biomédicas de Cacoal. Graduado em Tecnologia da Informação pela UNESC - União das Escolas Superiores de Cacoal. Tem CCNA (Cisco) como curso complementar de Redes de Computadores. Profissional da área de Eletrônica e de Programação de Computadores. Programador nas linguagens Delphi e Visual Basic.