Fazendo miniatura de caminhão para trazer uma carga de boas recordações! Agora no estado de São Paulo

Voltar Página Inicial Miniaturas - Projetos antigos Catálogo de Miniaturas Reflexões
Projetos Ferramentas Como é feito... Outros Sites Miniaturas de FNM
COMO COMPRAR Informática Comentários Quem Sou... Objetivos do Site
Mini Torno Um Pouco de História Perguntas Frequentes Contato Miniaturas de Mercedes-Benz

English

Comentar Como comprar

Mini Linha de Montagem - Scania Projeto B

Começou a temporada de Scania! Este Projeto de miniatura de Scania deverá contar com mais de seis modelos diferentes de caminhões dos anos 50 aos 80. Todos feitos de chapa estampada. Tudo reformulado. A escala é 1:25.

Miniaturas de caminhão Scania

Catálogo de Miniaturas de chapa de metal estampada

Miniatura da Motoniveladora Caterpillar 120B

Mini Linha de Montagem - Caminhões FNM

Oficina Aberta - Um Pouco de História

  MINI LINHA DE MONTAGEM 

  Scania L111 

Scania L 111 - Miniatura (Projeto Antigo)

Na Revista Scania Experience

Fotos da Montagem da Miniatura

Fotos da Miniatura já Concluída

  Scania L36 

  Scania L75 

Fotos da Montagem da Miniatura

Fotos da Montagem da Miniatura

 

O primeiro modelo escolhido

A primeira cabine que montei é cabine leito do Scania L111, um dos modelos da Scania mais conhecidos por todo o mundo. Adotei a versão brasileira, que tem pequenas diferenças da européia. Nesta que fiz, o vidro do canto traseiro da cabine é maior, só para começar.

 

Projeto

   

Planejei fazer a miniatura da Scania há dois anos, mas mal tenho tido tempo de fazer os trabalhos comuns. Agora é tempo de começar a Scania.

Eu, humildemente, pretendo representar alguns dos modelos comumente vistos nas estradas por todo o mundo nos últimos 70 anos. Sou entusiasta dos modelos mais antigos.

Não tive acesso à documentação referente aos modelos da marca e tudo que fiz sobre os modelos antigos de Scania é baseado em fotos encontradas na internet. Os ângulos e as curvas enganam, especialmente vistos em fotos. Então, alguns detalhes podem não estar tão precisos como se poderia esperar. Alguns não estão como eu esperava também. Este é o Projeto "B" da Miniatura da Scania. No Projeto "C" e assim por diante, as melhorias serão feitas.

Tive de fazer os moldes em aço. Quando não se tem senão meios escassos, o único modo de realizar este projeto é através do trabalho árduo. Falo sobre realmente esculpir todos os moldes em aço.

 

O presente projeto compreende alguns dos mais conhecidos caminhões Scania. A escala usada é 1:25 e os modelos que pretendo fazer são:

  • 02 caminhões Scania L 36;

  • 02 caminhões Scania L 55;

  • 02 caminhões Scania  LS 64;

  • 05 caminhões Scania L 75;

  • 02 caminhões Scania  LS 85;

  • 05 caminhões Scania L 111 cabine curta;

  • 15 caminhões Scania L 111 cabine leito;

  • 01 caminhão Scania LS 111 cabine leito;

  • 01 caminhão Scania LK 140 cabine sobre o motor (cara chata).

 

Ao menos 36 cabines serão feitas.

 

Muitas perguntas têm sido feitas sobre o projeto. Algumas delas são: 

Por que tantos modelos de uma vez? Por que duplicados?

Há muitas razões porque a coisa veio a ser desse jeito.

Razão 1: Desde que trabalhava no Projeto da Miniatura do Caminhão Brasileiro FNM (chamei de FNM - Projeto "A"), mais ou menos dois anos atrás, muitos dos fãs da marca Scania me cobraram uma miniatura. Só agora estou tirando um tempo para pôr as coisas nos trilhos.

Razão 2: Quando faço um modelo, tento fazer tantas cabines quanto posso. No dia a dia tão corrido no trabalho com computadores é difícil para e fazer uma miniatura do zero.

Razão 3: Há muitos modelos porque, às vezes, quando faço somente um tipo, as pessoas querem outros.

Razão 4: Há modelos duplicados porque, apesar de a idéia principal é não fazer para vender, eu os vendo de fato. Às vezes, nenhum fica em minhas mãos. As pessoas dizem: "Vende-me. Você pode fazer outro para si a qualquer tempo." Quero ter em minha coleção um exemplar de cada modelo que eu fizer. Então assumo que algumas dessas miniaturas serão vendidas.

Razão 5: Quando pesquiso alguma marca de caminhão, viajo através dos modelos lançados e acabo me apegando por cada um deles, especialmente os clássicos.

 

 

Moldes

Não faço os protótipos de argila porque o modo como os faço é um pouco diferente de como as outras pessoas fazem. Em vez de argila, prefiro usar alguns tipos de massa plástica.

No entanto, é melhor passar um mês inteiro fazendo os moldes do que fazer o trabalho só no martelo. Depois, se quero fazer outro do mesmo modelo, não tenho que me preocupar com medidas ou formas. Consegue-se melhor qualidade, sem mencionar que o tempo para fazer o modelo é significantemente reduzido.

Qualidade aqui é algo que deve ser explicado. Os modelos são artesanais, que devem ser bons o bastante dentro de seu escopo e não deveriam ser comparados àqueles vindos de uma linha de montagem industrial.

 

Interior das cabines

Às vezes temos de usar a experiência e um pouco de imaginação para compor as peças no interior da cabine por causa da falta de documentação. A similaridade entre modelos têm grande impacto no resultado. Há vezes em que o resultado não é o que gostaríamos que fosse, mas não há muito que se possa fazer. Documentação é ouro quando se tenta replicar algo.Eu costumava escrever para as marcas pedindo alguns dados sobre seus modelos, mas, em geral, eles não se importam com isso. Depois de ter tido um trabalho insano para fazer uma miniatura do Mercedes-Benz Axor 2640, há, agora, abundância de documentação no site desse fabricante. Suponho que todo modelista poderia fazer um trabalho melhor com os dados certos. Porém, tenho de admitir que, se minhas miniaturas Scania não se parecerem com uma Scania, a falha é minha. Deixemos o fabricante em paz nesse caso.

 


 

Considerações gerais do projeto

Como esse é um projeto artesanal, que implica o manuseio e o detalhamento de cada peça em separado, algumas preocupações foram constantes:

1 - Atingir um determinado padrão de qualidade;

2 - Obter peças bem resistentes;

3 - O material tinha de ser metal em pelo menos 80% das peças;

4 - As peças tinham de ser padronizadas e intercambiáveis;

5 - Reduzir o tempo de produção de cada peça sem alterar a qualidade.

 

 

Mais informação pode ser adicionada a este artigo a qualquer momento.

 

 
Tem muito para ser mostrado aqui sobre este trabalho e será adicionado assim que for possível.
Ivan Gouveia

Pós-graduado em Redes de Computadores pela FACIMED - Faculdade de Ciências Biomédicas de Cacoal. Graduado em Tecnologia da Informação pela UNESC - União das Escolas Superiores de Cacoal. Tem CCNA (Cisco) como curso complementar de Redes de Computadores. Profissional da área de Eletrônica e de Programação de Computadores. Programador nas linguagens Delphi e Visual Basic.